Agência Britânica distingue Município de Nampula como modelo de Governação Participativa e Inclusiva no país.

0
747
CULTURA MACUA CIDADE DE NAMPULA

Os representantes do Governo Britânico através do Departamento de Desenvolvimento Internacional (DFID em inglês) em parceria com as organizações da sociedade civil, visitou na passada terça-feira (21), o Município de Nampula, para, dentre várias tarefas, auscultar e avaliar o nível da governação participativa das comunidades, na componente da participação da sociedade na limpeza dos bairros e sua aproximação dos gestores municipais. Desde 2014 a parceria entre Sociedade Civil e o Município contribuiu para a consolidação da democracia e possibilitou a construção de marcos históricos na vida dos Nampulenses, que participam na melhoria de qualidade de vida dos habitantes (mais mercados, saneamento, estradas, pontes, água, salas de aulas, carteiras escolares), orientados pelo grupo de monitoria, representantes da comunidade nos bairros.

Esta organização Britânica percorreu pelas artérias dos bairros onde visitou associações residentes no município, iniciativas e soluções locais da comunidade municipal contentores de depósito de lixo, sanitários públicos, mercados e obras construídas pelo Município no âmbito da governação participativa da população.

“Há evidencias e marcos de participação da população em todas as instâncias onde visitamos e na administração municipal. Gostaria de saber porque somente no município de Nampula? Porque e como o Município de Nampula a nível nacional se distingue dentre os outros e consegue ter êxito na participação do cidadão e materialização dos projetos escolhidos pela comunidade?” Questionou a representante da agência britânica DFID durante o balanço das visita.

“É que deve-se ao facto ao empenho do Presidente do Município de Nampula, Mahamudo Amurane, na formulação e implementação de políticas de participação do cidadão na Governação Municipal de forma envolvente e transparente. No início do seu mandato em 2014, Mahamudo Amurane se empenhou em buscar parcerias para contratação de consultores com experiência internacionais para desenhar um guião e manuais orientativos com finalidade de implantar uma nova dinâmica administrativa de participação da sociedade civil nas decisões da governação Municipal que foi vital para Nampula. A exemplo disso são o Orçamento e a Planificação Participativo que envolve os cidadãos, em que os residentes nos bairros participam na formulação de políticas públicas do município. Um outro instrumento é o Observatório Municipal de Nampula em que a sociedade civil reunida com o Município de forma organizada fiscaliza e interagi o planificado e o executado de forma aberta, participativa e transparente” disse Carlos Langa, Vereador da área de Educação, Cultura, Juventude e Desporto, junto a equipe de Coordenação Participativa do Município.

Por seu turno os representantes do Programa de Apoio à Governação Democrática, DIÁLOGO – Diálogo Local Para a Boa Governação, se mostraram satisfeitos com o nível de participação dos cidadãos e a capacidade de resposta a nível municipal.

DFID avaliou os cinco municípios prioritários identificados (Maputo, Beira, Nampula, Quelimane e Tete) que são municípios caracterizados por implementar uma vida cívica cada vez mais vibrante, onde os cidadãos, mídia e governo estão bem conectados e um ao outro.

 

PARTILHAR